Educação: cidades do interior têm melhor resultado em índice de qualidade da educação básica

O simulador de custos foi entregue ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) em agosto. A expectativa dos pesquisadores é que o programa possa ser oferecido gratuitamente aos gestores municipais de todo o país.

Na lista dos municípios com melhor desempenho no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), as pequenas cidades lideram o ranking. De acordo com os dados divulgados nesta terça-feira (14) pelo Ministério da Educação (MEC), dos dez municípios com maior nota no Ideb nos anos iniciais do ensino fundamental, todos têm até 20 mil habitantes.

Considerando somente o resultado da rede pública, as primeiras capitais aparecem depois da posição 800 na lista dos 5.227 municípios que tiveram o Ideb calculado em 2011. No caso, Belo Horizonte (MG) e Curitiba (PR) com 5,8 pontos na fase inicial do ensino fundamental.

De acordo com o relatório do MEC sobre os resultados do Ideb, os municípios com menos escolas têm alcançado, proporcionalmente, melhores resultados do que os municípios com redes maiores. Nas cidades menores com até cinco escolas, 69% conseguiram Ideb igual ou superior à média nacional, que foi de 5 pontos para os anos iniciais. Por outro lado, entre as redes municipais com mais de 50 escolas, menos de 12% tiveram o mesmo desempenho.

A presidenta da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), Cleuza Repulho, aponta que a rede menor é mais fácil de ser organizada. “Além disso, as redes municipais estão mais próximas da comunidade e o controle social é mais forte. Existe uma pressão sobre o gestor muito mais intensa [por uma educação de qualidade]”, explica.

Na divisa entre São Paulo e Minas Gerais, está Claraval, município mineiro com 4 mil habitantes, que ganhou o título de campeão do Ideb em 2011. A nota da cidade foi 8,3 pontos para os anos iniciais do ensino fundamental.

De acordo com a secretária de Educação do município, Rita Helena de Freitas, todos os 40 professores da rede têm curso superior, participam periodicamente de cursos de capacitação e passam por avaliações de desempenho. Nas cinco escolas da cidade, as turmas são reduzidas e contam, no máximo, com 20 alunos.

“Esse número dá ao professor a possibilidade de trabalhar mais atentamente com cada aluno”, explica Rita. Ela acrescenta que a secretaria municipal trabalha com reforço escolar e procura ter a família sempre perto da escola.

“Há dois anos ficamos em segundo lugar e agora estamos muito felizes por ter atingido nosso objetivo. Trabalhamos para ficar em primeiro lugar no Ideb”, conta.

O Ideb é um indicador criado pelo Ministério da Educação (MEC) em 2005 para medir a qualidade do ensino no país. Ele é calculado com base na taxa de aprovação e do desempenho dos alunos na Prova Brasil, aplicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) a cada dois anos. A partir dessas informações são atribuídas notas para cada escola pública do país, rede de ensino, município e estado, além de uma média nacional, que em 2011 foi de 5 pontos para os anos iniciais do ensino fundamental.

Confira a lista dos municípios com melhor resultado no Ideb 2011 (anos iniciais do ensino fundamental):

Claraval (MG) – 8,3 pontos

Taiaçu (SP) – 8,2 pontos

Vista Alegre do Prata (RS) – 8,2 pontos

Joaquim Távora (PR) – 7,7 pontos

Mucambo (CE) – 7,5 pontos

Carvalhópolis (MG) – 7,5 pontos

Álvares Florence (SP) - 7,5 pontos

Caiuá (SP) – 7,5 pontos

Santa Terezinha de Itaipu (PR ) - 7,5 pontos

Antônio Carlos (SC) – 7,5 pontos

Paraí (RS) – 7,5 pontos

Agência Brasil